quarta-feira, 21 de junho de 2017

Aos bandidos os benefícios da Lei. Aos Agentes da Lei, os rigores da Lei.

Um caso, no mínimo inusitado, dentro do Distrito Federal causou revolta e indignação aos policiais militares que fazem a segurança pública da capital da república.

Um policial militar, que dessa vez não teve seu nome revelado, perdeu sua arma acidentalmente quando se deslocava de sua residência para o trabalho em seu meio de locomoção, sua moto, justamente para fazer aquilo que foi preparado: A segurança da sociedade.

Acidentalmente, durante o deslocamento sua arma caiu de seu coldre e não foi percebido pelo policial. Em consequência disso, os arcaicos e rígidos códigos e regulamentos disciplinares não perdoaram e o condenaram a 30 dias de detenção através da Auditoria Militar, onde os juízes haviam desclassificado a acusação para o crime de inobservância de lei, regulamento ou instrução.
Imediatamente e atendendo a um recurso do Ministério Público, a 1ª Turma Criminal do TJDFT consolidou o aumento da pena para 180 dias (seis meses). Nas alegações do MP, o policial foi negligente e não cumpriu o dever quando não prendeu a arma corretamente durante o trajeto.

Mesmo a pena sendo inferior a três anos de condenação e convertida em serviços sócios comunitários, a ficha do policial acaba ficando suja, além do inquérito interno que deverá determinar o ressarcimento do bem ao erário público e outras sanções.

As manifestações de internautas no site G1, que também divulgou a matéria, foram das mais diversas, mas na grande maioria o pedido de aumento da pena pelo MP foi assunto mais citado em detrimento do bem extraviado.

Alguns dos comentários feitos pelos internautas:

“As quase 400 armas roubadas do Fórum de Diadema, provavelmente, foi por conta de negligência. Será que veremos juízes e promotores condenados por isso?”.

“Mais um protetor da sociedade bem estimulado, incentivado e motivado para defender a sociedade, mesmo com o enorme risco a perder a própria vida. SQN!”

“Essa justiça do Brasil realmente é um tapa na cara do cidadão de bem!”

“Tem que aumentar a pena é para os políticos que estão acabando com o Brasil.”

“Mais um absurdo do nosso glorioso judiciário!!!! E os cones que ficam jogados pela cidade, que paga por eles?? aquelas cercas estão ao redor do centro de convenções desde a copa do mundo. já sumiu um monte, quem paga????”

Da redação, com informações do G1-DF

Por Poliglota...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

1 – Para comentar no Blog do Poliglota você poderá informar, além do seu nome completo, um apelido que poderá usar para escrever comentários.

2 – Serão eliminados do Blog tenpoliglota2012 os comentários que:
A - Configurem qualquer tipo de crime de acordo com as leis do país;
B - Contenham insultos, agressões, ofensas e baixarias;
C - Reúnam informações (e-mail, endereço, telefone e outras) de natureza nitidamente pessoais do próprio ou de terceiros;
D - Contenham qualquer tipo de material publicitário ou de merchandising, pessoal ou em benefício de terceiros.
E – Configurem qualquer tipo de cyberbulling.

3 – A publicação de comentários será permanentemente bloqueada aos usuários que:
A - Insistirem no envio de comentários com insultos, agressões, ofensas e baixarias;

Avisos:

1 – No Blog tenpoliglota2012, respeitadas as regras, é livre o debate dos assuntos aqui postados. Pede-se, apenas, que o espaço dos comentários não sirva para bate-papo sobre assuntos de caráter pessoal ou estranhos ao blog;

2 – Ao postarem suas mensagens, os comentaristas autorizam o titular do blog a reproduzi-los em qualquer outro meio de comunicação, dando os créditos devidos ao autor, com os devidos ajustes;

3 – A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica.

Os comentários estão liberados, no entanto àqueles que afetarem diretamente a honra e a imagem de quaisquer pessoa, física ou jurídica, àqueles que atentarem contra o decoro da classe, a honra e o pundonor militar serão MODERADOS.
tenpoliglota2012@gmail.com