sábado, 23 de janeiro de 2016

Com regras atuais, audiências de custódia representam política equivocada


Por Ricardo Prado Pires de Campos Procurador de Justiça em SP, mestre em Direito Processual Penal e membro do Movimento do Ministério Público Democrático

O Conselho Nacional de Justiça editou em 15 de dezembro último a Resolução nº 213, prevista para entrar em vigor em 1º de fevereiro próximo (art.17), na qual disciplina a realização das audiências de custódia e o tratamento a ser dispensado à pessoa presa em flagrante delito.

O texto é surreal, e não mereceria maiores considerações, não fosse à grandiosidade do gasto público envolvido e a completa inversão de valores estampada na Resolução.

A Resolução determina a implantação de audiências em todo o território nacional visando ouvir todas as pessoas presas em flagrante delito, por um juiz, no prazo de 24 horas, apenas e tão somente para saber se ele foi torturado.

Se o ato tivesse sido editado ao término do Regime Ditatorial, seria compreensível, mas três décadas depois, é absolutamente dispensável.

As audiências de custódia trazem um imenso custo aos cofres públicos porque exigem a presença de inúmeros profissionais: juiz, promotor, defensor público ou advogado, policiais, serventuários; e mais um sistema de logística impressionante na medida em que impõe o deslocamento obrigatório das pessoas presas em flagrante, com o correspondente custo de viaturas, combustíveis, escoltas, alojamentos e etc.

E qual o objetivo das audiências? Apenas para ouvir a pessoa presa em flagrante delito; mas não sobre o delito.

A audiência tem como finalidade principal, praticamente única, apurar eventual tortura por parte da polícia. Trata o tema como se essa prática fosse o principal problema do país na atualidade; e não a corrupção.

Tortura é problema sério, sobre o qual se detém as sociedades há séculos, especialmente depois da implantação do Estado de Direito. No entanto, na sociedade brasileira atual, ao menos no Estado de São Paulo, onde conheço o problema por atuação profissional, não constitui prática generalizada.

Depois de três décadas de Democracia, o país não é um celeiro de torturadores; nem as polícias se constituem em aparelhos repressores próximos do que existiu durante o regime ditatorial.

É certo que desvios na prática policial existem e devem ser combatidos, mas há muitas maneiras de fazê-lo. Procurar as formas mais eficientes e ao menor custo social é política que se impõe.

As audiências de custódia criam um gasto financeiro enorme para o Poder Judiciário, o Ministério Público, a Defensoria, e as Polícias Civil e Militar que, por certo, não passarão despercebidos dos Governos Estaduais ao longo do tempo.

A sociedade, mais uma vez, pagará a conta de uma política pública equivocada.

Bastaria criar núcleos de combate a tortura em cada um dos estados. Poucas pessoas, encarregadas exclusivamente desse problema, atuando junto com as Corregedorias, poderiam fazer muito mais pelo tema, do que uma movimentação exagerada e perigosa da população carcerária.

Ou então, aproveitar as audiências para outras finalidades do processo. Já que todos os presos serão obrigados a viajarem pelo Estado, não uma, mas duas vezes ao menos (uma na audiência da custodia e outra na de instrução e julgamento), seria prudente aproveitar o ato e o aparato pago pelos cofres públicos.

A audiência, nos termos da Resolução 213 do CNJ, não tem, nem pode ter outra finalidade senão ouvir a pessoa presa acerca do tratamento recebido das forças policiais. É uma verdadeira pesquisa de qualidade acerca do tratamento dados aos presos, mas feita por um juiz de direito, acompanhado de promotor (com papel de mero observador), e de defensor público ou advogado.

O pior é que traz um ranço de vingança contra a Polícia, especialmente a Militar, como se ela fosse uma inimiga da sociedade, como senão prestasse um serviço público da mais alta relevância.

Num país como elevadíssimos índices de violência, estampados especialmente nas estatísticas de roubos e homicídios, tratar a Polícia como inimiga da sociedade é de um equívoco enorme.

A Resolução dá a “pessoa presa” um tratamento diferenciado, que a própria vítima do crime jamais teve no Brasil. Além de verificar se o preso foi torturado, deve-se encaminhá-lo aos serviços de “proteção ou de inclusão social implementadas pelo Poder Público” (art.9 § 2º) e o juiz deve garantir “atenção médica e psicossocial eventualmente necessária” (§ 3º), mas desde que voluntária. Tratamento ou internação compulsórias, jamais.

A Resolução revela uma atenção especialíssima à pessoa presa, mas nenhuma consideração com a vítima da violência perpetrada pelo preso. Esta não tem o direito sequer de ser ouvida.

Dirão: ela será ouvida no curso do processo, na audiência de instrução. Mas quem é ouvido primeiro é o autor do crime; não quem foi por ele ofendido.

Quem primeiro é ouvido é o autor do ilícito, mas para saber se o tratamento recebido pelos “serviços de hospedagem do Estado” estão no nível exigido. Só mais tarde, muito mais tarde, o ofendido será ouvido, se for encontrado, se ainda tiver interesse, senão tiver morrido ou desaparecido de medo do agressor.

A Resolução invade competência privativa do Congresso Nacional, pois, edita normas de direito processual penal, e não simplesmente disciplina seus serviços auxiliares, como alega.

Gostaríamos de ver o mesmo empenho no combate à corrupção, este sim o tema número um do país no momento; e que mereceria um tão grande esforço dos órgãos públicos encarregados. A tortura, embora relevante, pode ser combatida de forma mais eficiente como menor custo para a sociedade.


Fonte: http://jota.info/com-regras-atuais-audiencias-de-custodia-representam-uma-politica-equivocada

37 comentários:

  1. CALMA , ESPERA AI , O TIRO VAI SAIR PELA CULATRA,, ISTO VAI SER OTIMO , ESTES ANIMAIS VAO ESTAR FRENTE A FRENTE COM OS JUIZES COM OS PROMOTORES, BABANDO NO CANGOTE DELES,, E VOU ESCLARECER UMA COISA,, FAZ MUITOS ANOS QUE OS POLICIAIS , PRINCIPALMENTE OS DE BRASILIA , NAO COMETEM ABUSOS NAS PRISOES DESTES ANIMAIS , POR UM SIMPLES DETALHE,, SAO SEMPRE OS MESMOS , PRENDEMOS UMA , DUAS , TRES , QUATRO , CINCO,,, E AGORA ELES JUIZES E PROMOTORES VAO SENTIR NA PELE ,, NAS AUDIENCIAS VAO SE DEPARAR VARIAS VEZES COM OS MESMOS ELEMENTOS E VAO VER QUE TEM ALGUMA COISA ERRADA ,,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se você pesquisar antes de proferir ilações, perceberás que em São Paulo, por exemplo, apenas 4% voltaram a reincidir em crimes. A audiência de custódia é uma medida válida com o fito de minorar a cultura do encarceramento desnecessário, refutando injustiças. E só serve para prisões em flagrante. Entretanto, nas mesmas audiências, existe a possibilidade da manutenção da prisão em flagrante, bem como, a conversão desta, em prisão preventiva. Tudo vai depender do caso em concreto.

      Atenciosamente,
      Praça jurista

      Excluir
    2. A diferença entre eu e voce , e que falo com conhecimento pratico de causa , pois tenho mais de 500 prisoes nos meus 27 anos de PM , 90 por cento sao reincidentes , PM de SAO PAULO e a criminalidade de SP nao tem nada haver com BRASILIA ,, LA EM SP O CRIME E ORGANIZADO O PCC E QUEM MANDA ,, aqui em Brasilia nao existe este tipo de facçao, MAS COMO VOCE ENTROU HOJE NA PM e nao sabe nem se fica , vou deixar voce com sua teoria juridica se deparar nas ruas com estes 4 por cento de reincidintes que voce vai ter pela frente 30 anos de serviço pra confirmar sua teoria.

      Excluir
    3. Parece um blá, blá...petista. Vagabundo tem que saber que se delinquir irá em cana. Criaram uma forma de passar a mão na cabeça de marginais. Fala-se em economia com gastos com os infratores encarcerados, mas ninguém menciona o valor de uma vida que pode ser ceifada por um peba posto prematuramente em liberdade.

      Excluir
    4. Prezado anônimo das 15:20, pela sua redação já deu para perceber a diferença entre nós dois. E que Deus te ouça! Tomara que eu saia mesmo! Pela porta da frente, de cabeça erguida e com paz de espírito.

      Praça jurista.

      Excluir
    5. Anônimo24 de janeiro de 2016 02:40 (Praça Jurista)

      Sua fala está completamente dissociada da realidade. Se realmente trabalhasse nas ruas não estaria com esse discurso "academicista", próprio de esquerdopatas picados que são pelos direitos dos "manos"!

      INTEGRALMENTE RIDÍCULO, POR QUE DIVORCIADO DA REALIDADE BRASILEIRA!

      Excluir
    6. Anônimo23 de janeiro de 2016 20:58 (comentário principal),

      De fato, só quem trabalha ou já trabalhou nas ruas sabe do que você está falando. O resto é conversa fiada de bate-papo de cafezinho em sala com ar condicionado, como o discurso desse patético praça jurista.

      Excluir
    7. Praça jurista?! Kkkkk, tá bem. Vcs PMS são hilários. Já conheci um Cabo de vassoura PM que acha que é desembargador. Sabe tudo. Kkkk

      Excluir
    8. Ps: acho que não conhece nada do que o CNJ fez antes do estabelecimento da audiência de custódia, não serve só pra flagrante.

      Excluir
    9. CFSD1995 novamente "bostejando" pelo teclado! Como creditar algo a um reformado por causas escusas? Ou você é um dos "bolsonetes" que adoram vomitar ódio pelos quatro cantos, ou está doente. Neste caso, recomendo que procure ajuda clínica urgentemente. Caro anônimo (08:08), já pesquisou no site do CNJ? Se pesquisou, então leia novamente o que redigi, pois não aleguei nada de anormal. A medida é boa, inclusive para resguardar o bom policial. Quem se lembra do caso "Amarildo do cerrado"? Se a audiência de custódia estivesse valendo naquela época, o desfecho poderia ter sido o outro, evitando manchas na imagem da PMDF. Então anônimo das (08:06), você é o que mesmo? Ah! Descobri. Você é um recalcado. Sendo assim, retorne ao famigerado núcleo dos fracassados - que é o seu habitat.

      Praça jurista

      Excluir
    10. Prezado colega da 08:08, o senhor tem razão. Obrigado pela correção! A audiência de custódia também serve para os mandados de prisão expedidos pelo juízo. Não prestei atenção para esta possibilidade. Entretanto, creio que na nossa rotina policial, as prisões em flagrante são as que ocorrem em maior número, uma vez que somos responsáveis pelo policiamento ostensivo. Mais uma vez, obrigado pela intervenção colega! Ambiente de discussão sadia e respeitosa é isso.

      Praça jurista

      Excluir
    11. PRACETE JURISTONTO,

      Conheço bastante sobre as recentes decisões do CNJ, inclusive de usurpar o poder do legislativo, para afirmar que você é quem precisa de informação, e deve tomar vergonha em sua cara e sair do meio policial, pois você é e continuará sendo apenas um JURISTONTO, sem qualquer noção do que é ser policial de fato e de verdade. Ou não defenderia mais essa aberração do CNJ. Por certo você deve ser praça só por opção, não? Ou será que o delegado da 4ª DP, que passou por um rigoroso processo seletivo de conhecimentos jurídicos, e esposou recentemente na imprensa as razões pelas quais essa decisão do CNJ vai totalmente de encontro ao trabalho policial, estaria equivocado e você certo?
      Além do mais, você é um canalha covarde que se aproveita do anonimato para fazer ilações descabidas por aqui. Se quer respeito, então respeite.
      Eu não o desrespeitei, quando o chamei de patético por defender essa excrescência do CNJ. Aliás, fui extremamente respeitoso com alguém que se nomina policial, e diz que é jurista, mas milita contra a classe policial, defendendo um despautério desses, que não só desmotiva o policial, como também traz mais insegurança para a sociedade.

      POLÍCIA NÃO É LUGAR DE QUEM DEFENDE DIREITOS DOS MANOS!

      Excluir
    12. Respeitoso? Se isso é seu respeito, então dispenso. Me poupe do seu chorume literal! Me aponte o local em que depreciei a classe a qual pertenço? Agora se você é da linha de que "bandido bom é bandido morto", então meu nobre, protocolize suas alegações finais ao SENHOR DEUS TODO PODEROSO. Eu prefiro seguir a legislação pátria, a fim de evitar eventuais transtornos judiciais. Agora, se os colegas preferem enfrentar batalhas nos Tribunais, então que arquem com as consequências - os nobres causídicos agradecem.

      Atenciosamente,
      Praça jurista.

      Excluir
    13. Um sujeito completamente alienado da realidade policial, mesmo dizendo pertencer a uma instituição policial; labora contra a classe, e ainda quer respeito?
      Você é mesmo totalmente sem noção!

      Além de tudo sequer compreende uma ironia. Quando disse que fui extremamente respeitoso com você, foi isso mesmo que se depreende do meu comentário anterior. Pois, se você não estivesse invocado o fato de pertencer a uma força policial, é provável que tivesse usado o mesmo palavreado chulo que você usou ao se referir a mim em 27 de janeiro de 2016 20:57.
      Alguém que desconhece a realidade da própria instituição à qual pertence, não merece o mínimo respeito.

      Excluir
    14. Certamente o tal CFSD1995 é um reformado ignóbil. Sempre trocando alhos por bugalhos. São sujeitos iguais a esse que mancham a imagem da PMDF. Atenção classe policial, cumpram as determinações legais e evitarão dores de cabeça futuras. A medida também serve para resguardar o profissional exemplar, portanto, não é tão ruim quanto se imagina. É só pesquisar um pouco mais.

      Praça jurista.

      Excluir
    15. CFSD1995 - REFORMADO12 de fevereiro de 2016 10:37

      Ignóbil é um sujeito que se nomina jurista, mas acredita que só sendo manietado pelas regras vigentes é que será um policial sem qualquer problema com a justiça.
      Trocar alhos por bugalhos é nunca ter trabalhado na atividade fim, e acreditar que pode dizer ao policial operacional como deve se comportar diante dos diplomas legais que impedem que a polícia seja polícia.

      Quem mancha a imagem da PMDF, são sujeitos inservíveis como você, que aqui incentivam ao policial como abaixar a cabeça para o status quo e serem humilhados pelo sistema, que naturalmente já labora contra a classe policial, não importando o quanto o policial seja legalista!

      Provavelmente esse inservível praça jurista, sequer viu ou ouviu a forma desrespeitosa e de desprezo como o Jornalista da Globo, Antônio, apresentador do DFTV 2ª edição, se reportou à classe policial militar do DF, quando o CB Renato Fernandes da Silva morreu em capotagem de viatura no dia 05.02.2016.

      Não importa o quão legalista a polícia seja, a imprensa, OAB, CDHs Brasil afora ligadas à esquerda, que ora domina o Brasil, sempre acharão uma forma de dificultar a vida profissional e pessoal dos policiais!

      Mas, só entende isso quem é ou já trabalhou na atividade fim de polícia ostensiva. O resto é só teoria e mera tertúlia academicista!

      Excluir
    16. Fugindo do tema ilustre colega? Qual o liame entre a audiência de custódia e o acidente veicular que vitimou o nobre colega? Não tenho a pretensão vocação para ser um "revolucionário", meu caro CFSD1995! Meu discurso é escorreito, na medida em que alinha-se ao nosso arcabouço jurídico. Se dentro deste mosaico normativo, a classe policial não compreender o seu dever, logo a senda dos embates judiciais, que por sinal é deveras desgastante, será a tônica do cotidiano dos colegas - o que pode ser efetivamente refutado. Grosso modo, é só cumprir o que as determinações legais.

      Praça jurista.

      Excluir
    17. Não estou fugindo do tema. Apenas lhe mostrei faticamente o que ocorre com nossa classe, mesmo quando no estrito cumprimento do dever legal, e mesmo quando cumprindo esse múnus público, um dos nossos vem a óbito, e o tratamento a nós dispensado é esse demonstrado pelo jornalista citado. E isso está de acordo com o que pensam nossos governantes, em especial os de esquerda, cuja orientação norteia a formação acadêmica no Brasil, em especial no Direito.
      Acreditar que correição ipsis litteris tornará a vida do policial mais fácil diante desse sistema, totalmente construído e pensado desde a academia(universidade) para favorecer os que estão em rota de colisão com a Lei, é mesmo sofrer da Síndrome de Estocolmo.

      Excluir
  2. Só tortura o policial que é muito operacional, ou seja: o que quer fazer o plus. O verdadeiro comedor de feno.

    Ainda mais nessa pseudo-crise onde os oficiais se aproveitam do trabalho do subordinado pra ganhar rios de dinheiro em gratificação (mas não fazem a menor diferença para a segurança pública) . O praça trouxa está se conscientizando e trabalhando igual aos chefinho. Sem carreira e salário decente só a Legalidade mesmo.

    Tortura? Aqui no DF não existe! Não somos idiotas! Arroz com feijão mesmo.

    ResponderExcluir
  3. Só nos encorajam a ficar na legalidade.

    Queremos a desmilitarização ou entrada única e uma carreira com 06 patentes. Tortura não!

    ResponderExcluir
  4. TUDO QUE TEM STF ENVOLVIDO COM ESSES ATUAIS MINISTRO E PARA BENEFICIAR BANDIDOS

    ResponderExcluir
  5. Serão audiências de pura repetição, ou seja, na presença do Juiz estarão sempre as mesmas figuras: Policias Operacionais e a cúpula da justiça, ouvindo as mesmas figuras carimbadas, lindo tudo isso.

    ResponderExcluir
  6. O CERTO É AUMENTAR NOSSA TARTARUGA ATE 2018, SEM ELA ESTAMOS LASCADOS. VAMOS FIRMAR GENTE POIS, GANHAMOS POUCO TRABALHO POUQUINHO

    ResponderExcluir
  7. Se o presidente do STF já falou que vai soltar 240.000 mil presos dos 600.000 mil existentes, porque que eu vou perder tempo prendendo alguém.

    ResponderExcluir
  8. Crianças se tornam adultos dentro de orfanatos a espera desses mesmo senhores deste cenário julgarem vários processos de adoção e a coisa não funciona . Em outras situações, familiares recorrem a esses senhores a procura de uma UTI no sistema de saúde pública, ai eles até gastam um papel fazem lá uma ordem judicial FAJUTA que os diretores de hospitais público não dão a mínima e novamente nada funciona . Agora em se tratando de benefícios a vagabundos ninguém duvide , ja é certo o funcionamento na integra . Brasil país de vagabundo e justiça tendenciosa .
    Sgt Chagas !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sgt. Chagas, boa tarde, eu concordo com vossa pessoa em: gênero, número e grau, vc disse justiça? eu digo, injustiça, só isso. Abs. ST RR.

      Excluir
  9. Boa tarde, Ten Poliglota! O Senhor sabe algo sobre o projeto de.lei número 193/2015 aprovado pela câmara e se vai influenciar em algo para a categoria? Ele fala em adicional de periculosidade de no mínimo 30% para as carreiras de segurança pública de todo o Brasil. Teria como verificar e se possível postar alguma matéria sobre? Obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite!

      Eu também li sobre esse projeto. Se aprovar tudo a gente terá esse reajuste creio eu. Ai tem que ver em cima de quais valores irá incidir.

      Excluir
  10. É de fato um assunto muito polemico essa tal audiência de custodia, agora se não bastasse querem colocar PMs para a condução do preso da carceragem do TJDFT-SEDE até a sala de audiências. Bom até onde sabemos isso e usurpação de função, sem contar que é também desvio de função, nos PMs não somos responsáveis por escolta de presos pois isso é serviço da PCDF e do DPOE, estão falando em um tal de acordo de cooperação entre TJDFT e PMDF só que nesse tal acordo quem vai se arrebentar somos nós Praças.
    E mais uma vez os nosso Comandantes vão ficar de bonzinhos e camaradas, mas uma coisa é certa pense no tanto de denuncia vai rolar nos meios de Comunicação em massa e nas redes sociais. E a quem interessar basta aguardar as novidades, com essa atitude se ela vir a ocorrer a população de Brasilia irá perder no minimo 40 Policiais das ruas que estão no combate ao crime.

    ResponderExcluir
  11. Enquanto um desses sujeitos defensores dos direitos dos manos não for vitimado por um de seus indefesos anjinhos, ou algum de seus parentes ou próximos não forem alvos, eles continuarão dessa forma que vemos. Afinal, eles não sabem o que é insegurança, já que dispõem de aparato estatal privativo que os mantém distantes da realidade vivida pelas pessoas comuns da sociedade, tanto quanto os policiais, que mesmo em serviço têm contra seu trabalho os mesmos defensores da escumalha abraçada por juristas e demais excrescências esquerdistas.
    O pior é ler aqui, um RIDÍCULO PRAÇA JURISTA defendendo uma desgraça dessas nos comentários logo acima.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. CFSD1995 com certeza esse Praça Jurista nunca fez e nem fará uma prisão em sua vida, já deu para perceber de que lado ele está. Uma coisa está clara o futura de nossa nação é obscuro e digo mais isso aqui se tronará um País de anarquia onde o Estado irá se esconder dentro de suas sedes bem vigiadas e seguras, enquanto nós povo pagaremos com as nossas vidas e de nossos entes queridos ao crime que evolui e se organiza a cada dia, sempre agindo com mais e mais violência.
      Já estamos em uma guerra não declarada e providencias nunca irão ser tomadas, restará a nós defender os nossos lares e a nossas famílias com unhas e dentes, fogo contra fogo...
      Estou cansado de toda essa merda...

      Excluir
    2. Anônimo28 de janeiro de 2016 00:30,

      Particularmente, só posso crer que um sujeito desses jamais trabalhou em P.O., e se já o fez, jamais conduziu uma ocorrência de crime grave, onde o criminoso é totalmente assistido por diversas entidades estatais em detrimento da vítima e também da própria polícia.
      Esse praça juristonto, sequer se deu ao trabalho de ler o texto, que ora é objeto de discussão aqui.
      Veja só que essa resolução do CNJ dirigido por um esquerdopata, o Ministro do PT, Lewandovski, traz ainda mais benefícios para os criminosos, onde estes terão direito de serem ouvidos primeiro, sem que se queira saber como está a vítima alvo desses criminosos, isto é, quando sobrevivem.
      E aí, vem um cara se nominando policial e jurista, defender uma aberração dessas?

      Excluir
  12. CRIOU-SE NO 8º BPM O "SISTEMA BROTHER" DE VOLUNTÁRIOS, ONDE AS VAGAS SÃO DESTINADAS PRIORITARIAMAENTE AOS CHAMADOS "BROTHERES", AQUELES QUE TÊM O TELEFONE DO "ESCALANTE" E DOS SEUS AUXILIARES.É SÓ VER A DISPARIDADE ENTRE OS NÚMEROS DE VOLUNTÁRIOS TIRADOS E HORÁRIOS. POLICIAIS COM ATÉ 8 VOLUNTÁRIOS MENSAIS, OUTROS QUE NÃO SÃO BROTHERS COM 2, E AQUELES AFORTUNADOS PELA GLÓRIA DIVINA, COM 3. ACHEI QUE A AUTOMATIZAÇÃO DO SISTEMA DO VOLUNTÁRIO FOSSE PARA DAR ISONOMIA E IMPESSOALIDADE A ESTE SERVIÇO, COMO REZA AS REGRAS DO FUNCIONARISMO PÚBLICO, OU NESTE BATALHÃO NÃO HÁ ESSA REGRA,SERIA O 8º BPM, UMA REDE PRIVADA?! ESCALAS SÃO GERADAS ÀS 5:30H DA MADRUGADA, ÀS 4:00H DA MANHÃ.ORA, COMO PODE ISSO?! O HORÁRIO DO EXPEDIENTE É DE 07H ÀS 13H OU 13H ÀS 19H.ESCALAS GERADAS FORA DESSE HORÁRIO FEREM ÀS REGRAS ÉTICAS DO SERVIÇO PÚBLICO. ESCALANTE LIGANDO PARA OS BROTHERES PARA DIZER QUE HÁ VAGAS, QUE VAI LANÇAR AS OPÇÕES NO SISTEMA.ISSO É LEGAL? O COMANDANTE SABE? ACREDITO QUE UMA SEÇÃO QUE MEXE COM DINHEIRO, COM A VIDA DE TRABALHADORES DEVERIA TER O MÍNIMO DE ÉTICA. TALVEZ O MINISTERIO PÚBLICO DEVA SABER DISSO E VER AS FOTOS DAS ESCALAS,ALIÁS TENHO PRINTS DOS HORÁRIOS INSOLITOS 5H E 4H DA MANHÃ?! FALA SÉRIO!COMANDANTE MUDE OS POLICIAIS DESSA SEÇÃO,CORTE ESSA PRÁTICA, OU TALVEZ AS AUTORIDADES O JULGEM CONIVENTE.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. num fodi bicho...estamos aqui num fórum para tratar de interesses mais urgentes e coletivos e você me aparece aqui com essa conversinha de voluntario, choramingando que não foi escalado o tanto que queria, asneira, conversa ao vento, conselho: coloca isso tudo que você escreveu aqui no fórum em uma parte e encaminha para seu comandante, se demorar a vir a resposta, pede solução de parte, simples assim, ou você pensa que o poliglota vai sair do conforto da casa dele só pra ir lá no seu p/1 e pedir que o sargenteante coloque você em 30 voluntários por mês...tenha a santa paciência.

      Excluir
  13. Amigo numa boa!!!!!!!!!!! AGENTE NÃO TEM:
    Promoção.
    Efetivo.
    Aumento salarial.
    Condições de serviço.
    Representante politico.
    AGETE TEM:
    Colete vencido.
    Extra no carnaval.
    Sistema e leis, controlando nossas ações .
    A aversão da sociedade.... esta ..... que nós a protegemos.
    Afrontamento dos criminosos, estes .... que não nos respeitam mais.
    Todos dias arrocho.... de todos lados hierárquicos da administração.
    E O AMIGO VEM ME FALAR NA REDE SOCIAL, QUE; NÃO CONSEGUE TIRAR MAIS QUE 2 VOLUNTÁRIOS NA SUA RESPECTIVA UNIDADE?
    Ho amigo.... com todo respeito.... dá pra resolver isso com um documento, envia lá pro seu comandante e pronto!

    PUXA VIDA!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  14. Há .... e esse PRAÇA JURISTA,,,, certamente ... não acredito que ele seja policial. filtrar melhor esses comentários POLIGLOTA. seu BLOG é serio!

    ResponderExcluir
  15. Agora em 2016, completa-se 05(cinco) anos da Guerra Civil na Síria. Nesse período, cerca de 250.000 pessoas foram mortas.
    Nesse mesmo período, cerca de 300.000 pessoas foram mortas no Brasil. E o que as "otoridades" fazem? Ampliam o rol de benefícios para os principais responsáveis por essa tragédia!

    ResponderExcluir

1 – Para comentar no Blog do Poliglota você poderá informar, além do seu nome completo, um apelido que poderá usar para escrever comentários.

2 – Serão eliminados do Blog tenpoliglota2012 os comentários que:
A - Configurem qualquer tipo de crime de acordo com as leis do país;
B - Contenham insultos, agressões, ofensas e baixarias;
C - Reúnam informações (e-mail, endereço, telefone e outras) de natureza nitidamente pessoais do próprio ou de terceiros;
D - Contenham qualquer tipo de material publicitário ou de merchandising, pessoal ou em benefício de terceiros.
E – Configurem qualquer tipo de cyberbulling.

3 – A publicação de comentários será permanentemente bloqueada aos usuários que:
A - Insistirem no envio de comentários com insultos, agressões, ofensas e baixarias;

Avisos:

1 – No Blog tenpoliglota2012, respeitadas as regras, é livre o debate dos assuntos aqui postados. Pede-se, apenas, que o espaço dos comentários não sirva para bate-papo sobre assuntos de caráter pessoal ou estranhos ao blog;

2 – Ao postarem suas mensagens, os comentaristas autorizam o titular do blog a reproduzi-los em qualquer outro meio de comunicação, dando os créditos devidos ao autor, com os devidos ajustes;

3 – A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica.

Os comentários estão liberados, no entanto àqueles que afetarem diretamente a honra e a imagem de quaisquer pessoa, física ou jurídica, àqueles que atentarem contra o decoro da classe, a honra e o pundonor militar serão MODERADOS.
tenpoliglota2012@gmail.com