sexta-feira, 10 de abril de 2015

Em segurança pública empata com a Venezuela

O Brasil ocupa o 122º lugar entre 133 países no quesito “Segurança pessoal”, no Índice de Progresso Social 2015

A segurança pública é atualmente o maior problema enfrentado pelos brasileiros. Mesmo com políticas públicas lançadas nos últimos anos para combater a violência, o país tem um dos piores resultados do mundo nessa área, segundo a nova versão do Índice de Progresso Social (IPS). A versão lançada nesta quinta-feira (9), que analisa 133 países, coloca o Brasil na 122ª posição quando o assunto é segurança pessoal. O resultado é comparável ao encontrado em Venezuela e Honduras, graças a péssimos resultados em quesitos como taxa de homicídio, percepção de criminalidade e taxa de crimes violentos.

O IPS é um levantamento organizado pela Social Progress Imperative, organização sem fins lucrativos que organiza a pesquisa junto a universidades e empresas privadas como Deloitte e a Fundação Rockefeller. Esse índice se baseia em 52 indicadores objetivos para avaliar o bem-estar para a população. O levantamento mostra que nem sempre os países mais ricos oferecem vida melhor a seus habitantes.

O grave quadro da segurança pública brasileira não chega a surpreender os elaboradores da pesquisa. Eduardo Oliveira, especialista em setor público na consultoria Deloitte (parceira na preparação do IPS) afirma que os avanços na área poderiam ter sido maiores. “A expectativa era de que a segurança pública melhorasse bastante”, diz. “Imaginava-se que, com políticas como as Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) houvesse uma grande melhora. Mas isso não bastou para mudar significativamente a nossa posição”.

O Brasil se sai bem nos quesitos liberdade religiosa, tolerância e vivência comunitária pacífica. No balanço geral, o país tem desempenho mediano. Englobado no grupo de “médio-alto” progresso social, o país ocupa a 42ª posição no ranking do IPS-2015. Supera outros grandes países subdesenvolvidos, como México e Rússia, mas fica atrás de nações vizinhas, como Argentina, Uruguai e Chile. Os mais bem colocados são países europeus com alto PIB per capita: Noruega, Suécia e Suíça. Já os piores são os africanos Chade e República Centro-Africana.

Fonte: Por Igor Utsumi e Marcos Coronato, revista Época. Foto: © STRINGER Brazil / Reuters 

13 comentários:

  1. edita ontem três novas sumulas vinculantes, em especial

    Súmula Vinculante 43: "É inconstitucional toda modalidade de provimento que propicie ao servidor investir-se, sem prévia aprovação em concurso público destinado ao seu provimento, em cargo que não integra a carreira na qual anteriormente investido".


    http://www.majoraraujo.com.br/2015/04/capitao-medrado-e-major-araujo-sao.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oficiais e praças constituem classes de uma mesma carreira, haja vista se submetem à mesma lei de vencimentos, promoção, previdência, matéria penal e processual militar e eleitoral, restando evidente que tal seleção interna para ascensão funcional não configura transposição, mas promoção dentro de uma mesma carreira.

      A CF/88 só exige concurso público aberto a toda a população, para as classes iniciais da carreira. Para as demais classes da carreira, é a lei (plano de carreira) que define os requisitos da investidura.

      Por força do art. 42, § 1º, c/c o art. 142, § 3º, inciso VIII, o postulado constitucional do concurso público previsto no art. 37, inciso II, todos da Constituição Federal, em regra, não se aplica aos militares da PMDF e do CBMDF, cabendo à lei dispor sobre as respectivas formas de ingresso nas Corporações, conforme jurisprudência do TCDF.

      Excluir
    2. O oficialato faz parte da carreira das praças!!!!

      E ainda tinha oficial querendo ser chamado de Vossa Excelência.

      Como que se a carreira de oficiais fosse jurídica, ou comparada ao dificil concurso de delegados, MP ou magistratura!!! PIADA!!!!

      Corregedoria da PM e IPM deveria ficar a cargo do MP (imparcialidade) !!!!! Não é trabalho da PM!!!! Essa competência deveria ser avocada ao MP através de Lei Federal.

      Excluir
    3. Esse Deputado tá falando merda! Ta precisando de assessoria.

      Praças e oficiais fazem parte da mesma carreira! Se fosse assim teria que despromover milhares de oficiais administrativos no Brasil!

      Excluir
  2. DENÚNCIA: O COMANDO DO 4º BPM. COLOCOU TODOS QUE ESTÃO DE FOLGA DOMINGO NO SERVIÇO EXTRAORDINÁRIO NA ESPLANDA DOS MINISTÉRIOS, O SERVIÇO VOLUNTÁRIO GRATIFICADO FOI CRIADO PARA QUE NÃO HOUVESSE ESCALA EXTRA.

    CADÊ OS PROMOTORES QUE SÓ FISCALIZAM SE ALGUM PRAÇA COMETER ALGUM DELITO OU A LEGALIDADE DA OPERAÇÃO TARTARUGA, SE ESSES PROMOTORES NÃO SABEM EU VOU ENSINAR A ELES, O TRABALHO NÃO REMUNERADO CONFIGURA ENRIQUECIMENTO ILÍCITO DO ESTADO E TRABALHO ESCRAVO.

    A OUTRA DENÚNCIA É QUE MUITOS NÃO POSSUEM GÁS LACRIMOGÊNEO DEVIDO A FALTA NO BATALHÃO, ALÉM DOS COLETES BALÍSTICO ESTAREM VENCIDOS.

    ENTÃO SENHORES PROMOTORES, A DENÚNCIA FOI FEITA INVESTIGUEM, MAS SEJAM RÁPIDOS POIS ALGUM POLICIAL PODE MORRER DEVIDO O COLETE VENCIDO OU O POLICIAL TER QUE USAR A ARMA DE FOGO CONTRA OS CIDADÃOS NA MANIFESTAÇÃO DO DIA 12/04/2015 UMA VEZ QUE NÃO TEM UMA ARMA NÃO LETAL QUE É O GÁS LACRIMOGÊNEO.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando sair no fantástico aí eles vão investigar...

      Excluir
    2. Esquenta não anônimo das 13:16, pois os canas do 9º BPM e 1º Bpesc também estão escalados domingo e como não temos vida social vai ser só o ouro, show de bola.

      Excluir
    3. Anônimo9 de abril de 2015 19:57
      Isso é uma excrescência,sabemos que existem oficiais honestos que sem sem duvida são a grande maioria. Entretanto, como em toda instituição existem pessoas que usam do instituto da agregação para ser promovido em tempo recorde, para com 40 anos em média ir para a reserva. Basta ver no almanaque quantos oficiais estão agregados na Casa Militar e na SESP.O TCDF deve tomar uma providência porque aquela recomendação para que a PMDF não use agregação para promoção não está sendo cumprida.Que belo exemplo estes oficiais dá a tropa ou melhor os PRAÇAS.


      Anônimo9 de abril de 2015 13:13
      SABE O QUE NÃO SÓ REFERIDO PROMOTOR, MAIS COMO TODO O SISTEMA E SOCIEDADE DEVERIAM FAZER.. E NESSE BOLO CONSIDERO: MPDFT, TCDFT, TJDFT, GDF, BURITI E QUEM SE INTERESSAR!!
      E ACABAR COM ESSA FARRA DE OFICIAL LEVAREM PÓS CONFIRMAÇÃO DA SUA APOSENTADORIA/RR, A INCORPORAÇÃO DE GORDAS GRATIFICAÇÕES!!
      ISSO MESMO.. SE FOREM ATRÁS, DESDE 2010.. VÃO PERCEBER QUE INÚMEROS OFICIAIS APÓS SEREM CONSIDERADOS APOSENTADOS/RR, SOLICITARAM A INCORPORAÇÃO DE VALORES A CIMA DE 10MIL!!
      OU SEJA, ESSES ALÉM DE LEVAR O SEU DE OFICIAL SUPERIOR CHEIO... AINDA LEVAM GRATIFICAÇÕES DE TODAS AS MODALIDADES, EXEMPLO: COMANDO GERAL, SUB COMANDOS, CASA MILITAR, E ETC.
      PORTANTO, ISSO SOMADO AS INÚMERAS VAGAS ARTIFICIAIS QUE FORÇAM A PROMOÇÃO DE CEL... AINDA TEM ESSA DAS GORDAS GRATIFICAÇÕES!! E IMORAL DE MAIS...
      SENDO ASSIM, RECOMENDO A TODOS QUE POSSUEM O PODER DE QUESTIONAR ESSA IMORALIDADE.. CONSULTAREM TODOS QUE FORAM SIM BENEFICIADOS COM ESSA FARRA DESDE 2010.
      POIS E UM ABSURDO SOLTAREM NOTINHAS NA WEB, JORNAIS E ETC.. DE QUE ESTAMOS TENDO INÚMEROS PEDIDOS DE APOSENTADORIA E AFIRMAR QUE NÃO TEM DINHEIRO PRA PAGAR OS PRAÇAS...

      PS: TAL CONSULTA PODE SER FEITA TANTO NOS DODF´S COMO TAMBÉM NO PORTA DA TRANSPARÊNCIA.

      Excluir
    4. As viaturas estão sem contrato de manutenção?
      Não tem problema, o praça faz vaquinha e levanta a viatura.
      O alojamento dos praças está um lixo e sem condições de, sequer, fazer uma refeição?
      Não tem problema, o praça cria um grêmio, levanta os recursos e resolve a situação.
      A comunicação na polícia está inoperante?
      Não tem problema, o praça que está na rua combatendo o crime usa seu celular pessoal para fazer consultas, ligar pra vítima, fazer um cerco e assim tentar prender um criminoso ou recuperar um carro roubado.
      A instituição não fornece equipamentos de proteção individual e os materiais necessários para a execução do serviço?
      Não tem problema, o praça compra joelheiras, cotoveleiras, coturnos, capas de colete, gás lacrimogênio, e assim ele fica equipado e consegue trabalhar com a mínima condição.
      Não tem estande de tiro pra atirar?
      Não tem problema, arruma um emprestado e coloca o praça pra pagar os alvos, obréas, grampeadores e o que mais precisar.
      A sala de aula não tem filtro, estabilizador e extensão?
      Não tem problema, cada pelotão rateia o seu e está tudo resolvido.
      Não tem condições de ministrar um curso com qualidade por falta de meios?
      Não tem problema, o praça banca o que faltar, ou ele queria o conhecimento de graça?

      ��������������

      Este é o pensamento do gestor da instituição. Por isso estamos nestas condições. Por isso os que carregam a instituição nas costas são humilhados ao ponto de chamarem as praças mais antigas de peso de papel. Por isso é que um dia um comandante disse que cabos e soldados não existem.


      Acorda praça!


      Quando você tem problemas, ninguém vê o seu lado ou tão pouco lhe ajuda.. ou pior, quando está até o pescoço em dívidas, ninguém faz "vaquinha" para sair dessa situação.. ou ainda, quando precisa de tratamento médico.. ninguém lhe ajuda!!!

      Portanto, se questione.. reflita..

      Vamos acabar com esse estigma de sempre estarmos fazendo o papel dos nossos comandantes e do Estado!! Diga não a esse ciclo do mal... e principalmente as " inúmeras vaquinhas ".

      #ReflitaPraça
      #SeQuestionePraça
      #VaquinhaNao
      #VamosDenunciar

      Repassando. ..

      Excluir
  3. esquenta não amigão aqui no 3º batalhão ja estamos tão acostumados com extra que esse do domingo ja sabiamos desde o ano passado

    ResponderExcluir
  4. não confio nessas empresas, afinal de contas elas tiram como base a policia carioca e a paulista, ai não vale...

    ResponderExcluir
  5. Poliglota, já que vc é do mesmo partido do Deputado Fraga, sera que não teria como pedir para ele nos ajudar?

    ResponderExcluir
  6. Não adianta pedir ajuda ao MP, CLDF ou outros órgãos semelhantes, estes não estão preocupados com nossos problemas.

    Aqueles que nos prejudicam, seja de que forma for, estão permeando ou andando lado a lado de quem pedimos socorro. Eles forma uma casta e em nada se preocupam com a plebe.

    O único som audíveis para eles é o som da mobilização, pois somente este chega a perturbar seus singelos ouvidos. Enquanto nos permanecermos inertes ele também o farão.

    ResponderExcluir

1 – Para comentar no Blog do Poliglota você poderá informar, além do seu nome completo, um apelido que poderá usar para escrever comentários.

2 – Serão eliminados do Blog tenpoliglota2012 os comentários que:
A - Configurem qualquer tipo de crime de acordo com as leis do país;
B - Contenham insultos, agressões, ofensas e baixarias;
C - Reúnam informações (e-mail, endereço, telefone e outras) de natureza nitidamente pessoais do próprio ou de terceiros;
D - Contenham qualquer tipo de material publicitário ou de merchandising, pessoal ou em benefício de terceiros.
E – Configurem qualquer tipo de cyberbulling.

3 – A publicação de comentários será permanentemente bloqueada aos usuários que:
A - Insistirem no envio de comentários com insultos, agressões, ofensas e baixarias;

Avisos:

1 – No Blog tenpoliglota2012, respeitadas as regras, é livre o debate dos assuntos aqui postados. Pede-se, apenas, que o espaço dos comentários não sirva para bate-papo sobre assuntos de caráter pessoal ou estranhos ao blog;

2 – Ao postarem suas mensagens, os comentaristas autorizam o titular do blog a reproduzi-los em qualquer outro meio de comunicação, dando os créditos devidos ao autor, com os devidos ajustes;

3 – A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica.

Os comentários estão liberados, no entanto àqueles que afetarem diretamente a honra e a imagem de quaisquer pessoa, física ou jurídica, àqueles que atentarem contra o decoro da classe, a honra e o pundonor militar serão MODERADOS.
tenpoliglota2012@gmail.com