segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Polícia de covardes?

Estamos transformando a polícia em uma instituição de covardes. Hoje, poucos policiais têm o ímpeto de agir imediatamente diante de uma injustiça ou de uma situação delituosa. Poucos têm a vontade de investigar e se expor às ruas e a seus conflitos, poucos têm a inconsequência de ir, quando a prudência normal e comum recomendam não ir.

A polícia não é uma profissão de certezas, de escolhas fáceis e certas, de ausência de riscos, de legalidades simples dos bancos acadêmicos. Polícia é risco e incerteza 24 horas do dia. Não existe a possibilidade de esperar um criminoso sacar a arma e apontá-la para você antes de você decidir atirar. Não se pode pedir sempre um mandado de busca para entrar em uma casa. Não existe sempre situações claras de risco e de flagrante delito que lhe permitam saber 100% do sucesso de suas escolhas e suas ações. Nas ruas é sacar a arma antes e atirar, entrar sem pensar para surpreender e não ser surpreendido. A polícia não é uma profissão de certezas e legalismo acadêmico. Não podemos transformar nossos policiais em pessoas acuadas e com medo de agir, com medo de responder por crimes, por abusos, por excessos.

Claro que não se pode permitir tudo, autorizar desmandos, torturas, abusos de autoridade. Mas não se pode exigir certezas e antecipações que os imprevistos das ruas não permitem. Não podemos colocar nossos policiais em uma situação de desconfiança prévia em relação aos seus atos que os imobilizem, não podemos exigir garantias que não podemos dar aos nossos policiais. Prejulgando ações policiais como de má-fé, transformamos nossos protetores em covardes que têm medo da decisão, que preferem não sair às ruas para investigar e prender. Hoje na polícia é mais cômodo não fazer nada, pois aí você evita os riscos das decisões incertas e os procedimentos que delas advém. Ocorre que isso é o fim da polícia, de nossos cães pastores, de nossos protetores.

Desgastes, equívocos e erros sempre existirão na atividade policial; mas nenhum erro será maior para a sociedade do que transformar a polícia em um lugar de covardes burocratas, que se escondem atrás de procedimentos e regras acabadas que não resolvem o imediatismo do pavor de um crime acontecendo.

Precisamos de policiais um pouco inconseqüentes – pois ninguém em um raciocínio lógico e normal vai enfrentar criminosos que não tem nada a perder ou a ganhar - que não tenham medo da morte, que anseiem pelo confronto, que tenham coragem de ir quando a prudência mandar não ir. Não existe o discurso do herói, do fazer o bem para a sociedade, do transformar o mundo em lugar melhor quando apontam uma arma para você. Ninguém vai pra rua quando o confronto é iminente e a derrota certa, seja morrendo ou voltando vivo para casa.

Logo nossa polícia será formada apenas por covardes. Logo o caos habitará. 


Por Rafael Vianna: Mestre em Ciências Jurídico-Criminais pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, atualmente é Delegado de Polícia no Paraná, assessor civil da SESP, entre outras atribuições.

12 comentários:

  1. Concordo plenamente, eu já me tornei um covarde há muito tempo. Não tenho dinheiro pra bancar advogado, também com este salário como teria, mal dá pra sustentar a minha familia. Cabo juruna

    ResponderExcluir
  2. COMO ASSIM? COM AS LEIS PETISTAS QUE SO BENEFICIA BANDIDOS, COM JUSTIÇA AO LADO DE BANDIDOS , POLICIAS ENTAO COM A MAO ATADAS.

    ResponderExcluir
  3. irmãos ,eu também faço parte do rool dos covardes,cara é tanta impunidade neste pais,são tantos representantes do povo ladrões corruptos,é tanto peba cagando e andando pra justiça é tanto falso moralista de direitos humanos ,explorando vilolencia,que me tornei um melindrado covarde

    ResponderExcluir
  4. geová disse:
    bom dia a todos. Não vejo totalmente a polícia covarde supra citada. vejo uma policia engessada por leis q beneficiam o errado, logo muitos usam da sensata omissão, uma vez que querer fazer o certo e ser correto "caiu da moda". Somente alguns pms ignorantes vibram até levarem uma punição severa da "justiça".

    ResponderExcluir
  5. Não sou oficial com medo de pegar uma ocorrência e depois não ser promovido, no entanto, me vejo como um covarde pois, sei que quando eu fizer algo que não seja do tipo que o sistema pleiteia, terei que gastar com advogados e deixarei minha família passando dificuldades. Vendo por esse lado deixei de lado o meu lado "vibrador" eu me tornei um covarde! Agora não gasto com advogados e muito menos respondo por meu atos que muitas das vezes agia com rigor e sem pensar que no futuro eu teria que desembolsar o meu suado salário com advogados. Agora é só esperar a aposentadoria, mesmo faltando 15 anos.

    ResponderExcluir
  6. ESSA FERRAMENTA CHAMADA TARTARUGA NUNCA ADORMECEU PARA QUEM REALMENTE TEM VERGONHA NA CARA E, NÃO ACEITA SER TRATADO COMO ESCRAVO E, NÃO SE ALIMENTA DE TAPINHAS NAS COSTAS. DESSA MANEIRA AINDA TEMOS MUITOS POLICIAIS COM AMOR PRÓPRIO NESSA POLICIA. EU FICO MUITO TRISTE QUANDO VEJO A IMPRENSA DETONANDO NOSSA POLICIA; MAS TRISTEZA MAIOR É VER OS MESMOS POLICIAIS DANDO ENTREVISTA PARA ESSA MESMA IMPRENSA QUE TODOS OS DIAS NOS DETONA. acordam praças

    ResponderExcluir
  7. concordo plenamente com as palavras do delegado. Hoje em dia nós policiais pensamos mais nas consequências . que nas ocorrências. E isso serve de pretexto para nos acomodarmos. e assim hoje a maioria dos policiais não fazem nem o mínimo. Em decorrência disso , Nós esquecemos que na folga nós somos sociedade, e quando estamos em serviço nossos familiares estão a mercê das nossas consequências. De tanto não agirmos, Nós que seremos atingidos. E Bandido não pensa nas consequências. E se continuarmos assim, O Distrito federal, terá uma invasão de bandidos invadindo quartéis e delegacias, matando e tomando armas de policiais. Temos que ter um pouco de reflexão. Tudo bem os nossos salários estão abaixo do desejado sim está, não temos plano de carreira decente isso é fato. Em contrapartida A Nação Brasileira passa por uma crise generalizada em todo o seguimento da sociedade. E são vários fatores, que podemos apontar. Mas não podemos nos negar o nosso dever de oficio. Eu Tenho 23 anos de policia sou praça. Não estou satisfeito com o meu salário. e plano de carreira. Porém eu vou continuar agindo com energia e operacionalidade diante o banditismo e a marginalidade. Que me chamem de vibrador. Mas não importo o que os outros dizem. O que importa é a minha consciência e a justiça. DO MEU GRANDE E PODEROSO DEUS. Pois só ele poderá me julgar e me deter.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. boa sorte pra voce,tomara que através de sua vasta operacionalidade voce não responda algo grave e que resulte em tirar o verdadeiro sustento da sua familia,o arroz com feijão,conheci varios operacionais trabalhando de bico fora da pm por excesso de operacionalidade,outros perderam até membros,tão ai largados, nem a sociedade,nem a pm,quis saber de sua operacionalidade.comendo o pão que o diabo amassou.

      Excluir
    2. Parabéns irmão, Anônimo16 de dezembro de 2014 18:04.

      Concordo plenamente com suas palavras e convicções. Infelizmente, diversos policiais estão deixando se levar pelo comodismo e todo esse caos social promovido por políticos, empresários e gente que não presta, que se amparam no descaso e omissão dos pilares da sociedade para continuarem prosperando.
      Você tem toda razão quando diz " Nós esquecemos que na folga nós somos sociedade, e quando estamos em serviço nossos familiares estão a mercê das nossas consequências. De tanto não agirmos, Nós que seremos atingidos".
      Que o Senhor ti abençoe ricamente por toda sua vida, e que a nossa fé em querer apenas fazer o que é certo continue sendo o Castelo Forte, contra qualquer cilada ou covardia promovida por gente imunda, as quais, esquecem que todos nós iremos prestar contas um dia do que fizemos em vida.

      Excluir
  8. DE HERÓI E BOAS INTENÇÕES O CÉU O INFERNO E AS CADEIAS ESTÃO CHEIAS ENTÃO É FEIJÃO COM ARROZ ATÉ O FIM POIS NESTE DE PAIS DE CORRUPTOS A POLICIA NÃO PODE FAZER P........... NENHUMA AS LEIS SÃO CUMPRIDAS NA SUA GRANDE MAIORIA PARA OS POBRES ESFARRAPADOS RICO VAI PARA CADEIA COM ESCOLTA, CELULAR, COMIDA DIFERENCIADA SEXO DROGAS E ROCK ROLL ENTÃO PARA QUE POLICIAR

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. concordo em tudo que disseste guerreiro,essa é a realidade deste pais.

      Excluir
  9. Virei um covarde, nao tiro serviço extra(existe o svg pra quem quer e precisa trabalhar na folga), nao frequento mais audiências nas minhas folgas, pois trabalho ostensivamente e o simples fato de espantar vagabundo pra outro local de delito ja me satisfaz e considero que minha função ė essa. A PCDF que prenda em flagrante, que investigue. Hoje não vale mais a pena vibrar e correr o risco de ouvir "sapos" de promotores e juízes, mesmo que você esteja certo eles por pouco ou em alguns casos te tratam pior que os bandidos que você prendeu. Prestem atenção, oficiais fogem de ocorrências e só se preocupam com suas promoções e com suas carreiras. Nós praças estamos começando a seguir o mesmo caminho dos oficiais. Quando surgirem leis que nos apoiem e nos subsidiem, quem sabe voltaremos a trabalhar como antes. Pelo visto isso nunca vai acontecer. Então só lamento pra sociedade, me incluo tb, que aguentará as consequências do domínio da bandidagem.

    ResponderExcluir

1 – Para comentar no Blog do Poliglota você poderá informar, além do seu nome completo, um apelido que poderá usar para escrever comentários.

2 – Serão eliminados do Blog tenpoliglota2012 os comentários que:
A - Configurem qualquer tipo de crime de acordo com as leis do país;
B - Contenham insultos, agressões, ofensas e baixarias;
C - Reúnam informações (e-mail, endereço, telefone e outras) de natureza nitidamente pessoais do próprio ou de terceiros;
D - Contenham qualquer tipo de material publicitário ou de merchandising, pessoal ou em benefício de terceiros.
E – Configurem qualquer tipo de cyberbulling.

3 – A publicação de comentários será permanentemente bloqueada aos usuários que:
A - Insistirem no envio de comentários com insultos, agressões, ofensas e baixarias;

Avisos:

1 – No Blog tenpoliglota2012, respeitadas as regras, é livre o debate dos assuntos aqui postados. Pede-se, apenas, que o espaço dos comentários não sirva para bate-papo sobre assuntos de caráter pessoal ou estranhos ao blog;

2 – Ao postarem suas mensagens, os comentaristas autorizam o titular do blog a reproduzi-los em qualquer outro meio de comunicação, dando os créditos devidos ao autor, com os devidos ajustes;

3 – A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica.

Os comentários estão liberados, no entanto àqueles que afetarem diretamente a honra e a imagem de quaisquer pessoa, física ou jurídica, àqueles que atentarem contra o decoro da classe, a honra e o pundonor militar serão MODERADOS.
tenpoliglota2012@gmail.com